Sobre mim

Filipa Maia

 

Sou a Filipa, tenho 32 anos e sou uma cientista em processo de transição para uma nova carreira, numa área totalmente diferente, que ainda nem sei exatamente qual é. Tenho o problema de, aos 32 anos, continuar a ter demasiados interesses, demasiadas coisas que gostava de fazer, e não me conseguir decidir apenas por um dos caminhos possíveis e ignorar todos os outros. Por isso vou explorando várias opções, vou meditando e olhando para dentro de mim, para tentar perceber o que me faria mais feliz. A parte boa é que não preciso de ter o plano para os próximos 10 anos definido, posso ir construindo o percurso à medida que vou descobrindo coisas novas sobre mim própria, e ajustando sempre que faço novas experiências com resultados, muitas vezes, surpreendentes.

 

Criei este blog porque algures entre os 30 e os 31 anos descobri uma nova paixão que antes desconhecia existir. Uma paixão pela escrita, que, ao princípio, me deixou terrivelmente surpreendida comigo própria, mas que depois foi começando a fazer todo o sentido – a minha intuição tinha vindo a sussurrar algo ao meu ouvido durante uns tempos, eu é que não quis ouvir. Sempre adorei ler. Também sempre fui uma excelente aluna na escola mas, e era sempre este o comentário dos professores, “dava muitos erros ortográficos”. Com a minha queda para a Matemática e as Ciências e com a “falta de jeito” (spoiler alert: fictícia) para Português (apesar do nível proficiente de Inglês), convenci-me que apenas poderia ter uma carreira de sucesso na área das ciências. Como até gostava, foi o que fiz.

 

Até que tudo mudou. A vida tem destas coisas e este interesse pela escrita surgiu quase como que por acaso, mas veio mudar tudo – não de um momento para o outro, mas à medida que fui percebendo outras coisas. Resumindo um processo que se iniciou com a descoberta deste amor pela escrita e que não demorou muito tempo mas que foi muito complexo, a minha visão do mundo alterou-se completamente nos últimos tempos, tendo mergulhado num percurso de desenvolvimento pessoal que me levou de uma mentalidade fixa para uma de crescimento (do livro Mindset, de Carol Dweck), e que me permitiu ver que não tenho de me limitar a ser cientista mas que posso ser tudo aquilo que eu quiser, se me empenhar para aprender e dedicar todo o meu ser a isso. Depois da descoberta da escrita, fui descobrindo uma série de outros interesses, percebi também que afinal posso ser criativa (mais uma coisa que eu acreditava estar fora do meu alcance) e percebi que afinal há um número bastante significativo de coisas que posso fazer com o resto da minha vida. E se posso, porque não o hei de fazer? A era em que as pessoas tinham empregos/carreiras durante toda uma vida já terminou. Estamos num mundo de mudança – e em mudança – e não temos de ficar parados sem tirar partido de todas as possibilidades que existem ao nosso redor.

 

Para acrescentar a tudo isto, este mesmo processo de mudança permitiu-me redefinir a minha noção de sucesso e perceber que talvez não seja uma carreira corporativa, em que trabalho mais de 40 horas por semana, que me vai fazer feliz, mas sim ter mais tempo para mim, para a minha escrita, para os meus projetos pessoais e para o meu crescimento e aprendizagem contínuos. Gosto de ser cientista, não vou mentir, mas o estilo de vida que tenho com esta profissão não é o ideal para conjugar com outros interesses que tenho. E se gosto de tantas coisas, porque não escolher uma outra que me permita ter o estilo de vida que quero para mim?

 

Por isso, vou continuar a explorar o mundo e as possibilidades e, entretanto, este blog transformou-se em muito mais do que apenas um blog sobre escrita. É um lugar onde falo, sim, ainda de escrita e das minhas leituras, mas também de atitude e mindset, de psicologia positiva, de desenvolvimento pessoal e de bem-estar mental e físico. Falo também das minhas viagens, das que já fiz e das que quero fazer, e ainda – um bocadinho – de lifestyle.

 

Se me quiserem acompanhar nesta transformação, saibam que terei todo o gosto em vos ter comigo. Saibam também que podem subscrever a minha Newsletter, que sai duas vezes por mês, e que inclui conteúdo exclusivo, nunca publicado no blog.