Eu e as minhas histórias Objetivos

Objetivos de Inverno 2018 – E como podes planear o teu ano ideal

planear o ano ideal

 

Caso tenha escapado a alguém, já fiz a revisão dos meus objetivos anuais de 2017 aqui.

 

Chegou agora a altura de rever os objetivos mais específicos do último trimestre e enterrar-me num buraco tal é a vergonha.

 

Continua a ler se quiseres ver o meu grande falhanço e também para veres a técnica que usei para planear o ano ideal em 2018. Mas antes disso, queria dizer uma coisa sobre este tipo de artigos.

 

Comecei a escrever, aqui no blog, sobre os meus objetivos trimestrais já no início do ano passado e acho que eles são excelentes para eu me responsabilizar perante vocês – o tão famoso accountability. No entanto, cada vez estou menos confortável com artigos que apenas se focam em mim e não trazem qualquer utilidade para quem me lê. E, apesar de achar que só a partilha dos meus objetivos já pode servir para motivar alguns dos meus leitores, penso que não seja suficiente e quero trazer muito mais valor do que isso.

 

É por isso que quero começar a associar estes artigos de objetivos trimestrais a conteúdos úteis sobre planeamento, gestão de tempo, produtividade e implementação de hábitos. São áreas imprescindíveis para conseguirmos ser bem sucedidos na concretização de objetivos, e áreas em que tenho vindo a melhorar com o tempo, conseguindo encontrar sistemas que funcionam. Queria saber se acham que isto é útil e se querem ver mais deste tipo de conteúdos, por isso digam-me nos comentários, por favor!

 

E agora, vou rapidamente passar à revisão do último trimestre, para não ser tão doloroso…

 

Revisão do trimestre passado

 

Tinha 9 objetivos para os últimos três meses de 2017, ou o trimestre de outono. Eram eles:

 

Objetivo nº1 – Acabar o primeiro rascunho do segundo livro

Como já disse na revisão de objetivos anuais, não aconteceu

 

Objetivo nº 2 – Ler 8 livros

Também não aconteceu, apenas li 6.

 

Objetivo nº3 – Terminar novo website

Não está feito.

 

Objetivo nº 4 – Fazer a primeira ronda de revisões do meu primeiro livro

Ainda nem comecei

 

Objetivo nº 5 – Lançar um ebook no blog

YAY! Este fiz, e se ainda não o descarregaram, podem fazê-lo aqui.

 

Objetivo nº 6 – Elaborar proposta para o livro de não-ficção

Não foi feito.

 

Objetivo nº 7 – Publicar 3 posts por semana no blog

Também não. Não consegui manter o ritmo.

 

Objetivo nº8 – Voltar a ir ao ginásio regularmente

Infelizmente, não aconteceu.

 

Objetivo nº9 – Continuar a fazer progressos no projeto SD

Este projeto secreto praticamente não evoluiu.

 

Ora, não sei se estiverem a contar, mas eu dou uma ajuda: só concretizei um de nove objetivos… Fantástico, não é?

 

A verdade é que sim, é fantástico. Sabem porquê? É que isto aconteceu porque eu mudei completamente de vida este trimestre e, logicamente, esta foi uma fase de adaptação. Por isso, sinceramente, apesar de sentir um bocadinho de vergonha por apenas ter cumprido um objetivo em nove propostos, não me importo nada e, no fundo, sei que este trimestre foi um sucesso.

 

Mudei de vida, não fiz algumas das coisas a que me tinha proposto mas fiz muitas outras, sinto-me bem, feliz e em equilíbrio. Por isso está tudo bem.

 

Além de tudo isto, este “falhanço” teve uma consequência muito boa: mostrar-me que estes objetivos têm de ser mais bem planeados!

 

A importância do planeamento

 

Até aqui e ao longo de todo o ano de 2017, eu determinei estes objetivos trimestrais apenas com base naquilo que gostava ou queria muito fazer. Isso não é, de todo, viável. É preciso fazer um planeamento muito mais profundo do que isso para que as coisas corram bem, e essa foi uma lição que acabei por aprender da pior maneira. Mais ainda agora, que trabalho por conta própria, todo o meu tempo está nas minhas mãos e sou eu que tenho de decidir o que vou fazer em cada momento para levar os objetivos a bom porto.

 

Mas aprendi a lição e garanto-vos que isto não vai voltar a acontecer, pelo menos no que depender de mim. Foi por isso que nas últimas semanas de 2017 reservei bastantes horas do meu tempo para planear os próximos 6 meses. São capazes de ter visto esta imagem se me seguem no Instagram ou no Facebook:

 

planeamento

 

Mas isto foi apenas o início! Foram horas de trabalho para chegar a um plano viável e que, acredito, me vai permitir realizar a maior parte dos meus objetivos.

 

Estratégia para planear o ano ideal

 

Este processo, que recomendo que também usem para planearem o vosso ano, 3 ou 6 meses de cada vez, passou pelos seguintes passos:

 

Passo 1 – registar todas as tarefas fixas que já sei que vou ter nos próximos meses – como trabalhar no blog, reservar tempo para escrita e outros projetos em que estou a participar; isto permite-me saber que, em cada semana, já tenho X horas alocadas a estas tarefas.

 

Passo 2 – registar as horas que, à partida, vou ter de dedicar semanalmente às aulas dos vários cursos que estou a fazer ou que ainda estão para começar, bem como para o respetivo estudo e realização de trabalhos; enquanto que o número de horas do ponto acima é praticamente constante ao longo do tempo, este valor é bastante variável, conforme o número de cursos que estou a fazer em cada momento, bom como das fases em que esses cursos se encontram.

 

Passo 3 – definir quantas horas quero trabalhar por semana; num processo muito prático, tratou-se de contabilizar quantas horas por semana quero passar em atividades como: dormir, comer, higiene, deslocações, exercício físico, ler, etc; subtrair esse número ao total de horas que uma semana tem e pensar em que percentagem desse tempo é que quero e/ou me sinto capaz de trabalhar por semana; estes números podem, obviamente, mudar ao longo do tempo e é perfeitamente normal que assim aconteça; eu, neste caso, estou numa fase bastante singular da minha vida, já que estou num processo de transição de carreira, estou a fazer cursos, a trabalhar com outras pessoas, a arrancar com a minha prestação de serviços, por isso tenho perfeita noção que os próximos meses vão ser um pouco mais exigentes do que o habitual; mas lá para agosto a coisa há de começar a estabilizar!

 

Passo 4 – comparando o tempo alocado às tarefas dos passos 1 e 2 com o tempo total que tenho para trabalhar por semana, perceber quantas horas sobram para trabalhar noutros projetos.

 

Passo 5 – para cada projeto que quero executar nos próximos 6 a 9 meses, fazer uma lista das tarefas que vou precisar de realizar e fazer uma estimativa do tempo que vai demorar a fazer cada uma dessas tarefas.

 

Passo 6 – distribuir cada tarefa de cada projeto pelo calendário.

 

Fácil, não é? Claro que sim, mas dá trabalho e exige foco e tempo reservado apenas para fazer este planeamento! Mas depois, faz toda a diferença!

 

planeamento final

 

No fim, ainda fiz mais um passo que foi passar tudo isto para uma folha de excel, em que posso arrastar células e pintá-las com cores diferentes, para ficar tudo mais organizado (e guardado na cloud para não haver hipótese de se perder).

 

Claro que tudo isto é ajustável e, por isso mesmo, o ideal na fase de planeamento em papel é usar post-its e lápis em vez de caneta.

 

Digam-me lá o que acharam desta técnica e, já agora, se teriam interesse num pequeno workshop de planeamento pessoal e gestão de tempo!

 

Objetivos para 2018

 

Portanto, voltando aos objetivos, e começando pelos anuais: em 2018 quero:

 

1 – Terminar a revisão do meu primeiro livro de ficção

Acredito muito neste livro e nesta história e quero muito submetê-lo para publicação ainda este ano.

 

2 – Escrever e rever o meu primeiro livro de não-ficção

Já há uns tempos que ando a falar nele. Quero muito escrevê-lo este ano.

 

3 – Lançar o meu site profissional

Claro!

 

4 – Lançar um novo projeto

Um projeto ultra-secreto e que significa tanto para mim!

 

5 – Ler 36 livros

Em 2017 apenas consegui ler 24, o que é, francamente, pouco. A ideia para este ano é ler dois de ficção e um de não-ficção por mês.

 

6 – Fazer 3 elevações

Este objetivo vem substituir o da ida regular ao ginásio. Isto porque este ano quero dar mais atenção ao meu bem-estar e à minha saúde, e isso passa por comer melhor e por treinar. Mas, neste momento, sinto que um objetivo de performance é o que faz mais sentido para mim. Não quero impor um objetivo de perder um certo número de quilos nem de ir x vezes ao ginásio porque, nestas coisas, os números significam muito pouco. Sei que este é um objetivo bastante arrojado, mas é o que acredito que vai funcionar melhor para me motivar.

 

7 – Meditar todos os dias

Sim, mesmo todos os dias. Tenho uma app para controlar isto, por isso no final do ano até vou poder mostrar!

 

A minha palavra para 2018

 

Quanto à minha palavra para este ano, se 2017 foi um ano de Mudança, quero muito que 2018 seja um ano de Equilíbrio. Afinal, foi essencialmente para isso que quis mudar de vida. Quero dar atenção ao meu corpo, à minha saúde e às minhas necessidades. E apesar de saber que tenho muito trabalho pela frente nos próximos tempos, há coisas que não vão poder ser negociáveis, como meditar todos os dias, dormir o número de horas que me faz sentir bem, tantas vezes quanto possível, e mexer-me todos os dias, nem que sejam apenas 20 ou 30 minutos de caminhada ou yoga.

 

Objetivos de Inverno 2018

 

Para finalizar, os objetivos para o trimestre de inverno são os seguintes:

 

Objetivo nº1 – Fazer a primeira ronda de revisão do meu primeiro livro

Já anda a ser adiado há demasiado tempo

 

Objetivo nº2 – Lançar o meu website profissional

Está previsto para muito em breve!

 

Objetivo nº3 – Ter um ebook para oferecer no meu website profissional

Mas ainda nem defini o tópico…

 

Objetivo nº4 – Objetivo secreto

Tem a ver com aquele projeto secreto para este ano

 

Objetivo nº5 – Estudar e reunir toda a informação de que vou precisar para o projeto secreto

Juro que assim que for possível eu conto o que é!

 

Objetivo nº6 – Publicar duas vezes por semana no blog

Se tudo correr bem, podem contar com novos artigos todas as segundas e quintas.

 

Objetivo nº7 – Mexer-me todos os dias

Sinto falta das minhas caminhadas, redescobri a minha paixão pelo yoga, por isso não há desculpas para não fazer isto!

 

E vocês, já definiram os vossos objetivos para este ano? Têm algum método para planear como os vão executar?

 

Falei-vos do meu planeamento a médio prazo, gostavam de ver como faço o planeamento semanal? (aviso já que também é bastante detalhado)

You Might Also Like

6 Comments

  • Reply
    Natália
    January 8, 2018 at 1:56 pm

    Não sou a única a chegar ao fim do ano com tanto por fazer… Agora a sério, se uma pessoa tão disciplinada assume este resultado, eu o “caos em cuecas” no que toca a disciplina, tenho de assumir também que falhei quase tudo … Obrigada por mostrares que caminhos para melhorar. bjs

    • Reply
      Filipa Maia
      January 8, 2018 at 2:31 pm

      Sim, Natália, assumo que estou muito longe da perfeição! Não estava a fazer um bom planeamento, e isso notou-se mais no último trimestre por causa de todas as mudanças por que passei. Mas é uma questão de ir testando e otimizando sistemas. Mantendo sempre presente que um sistema que funcione hoje não quer necessariamente dizer que vá funcionar para sempre, por isso temos de estar sempre abertas a fazer ajustes 😉 Beijinho grande*

  • Reply
    Kéké
    January 8, 2018 at 3:24 pm

    Há tanto que fizeste que vai além desses objetivos. E foste uma das minhas pessoas em 2017 e continuarás a ser em 2018 <3

    Que conquistes tudo isso e muito mais. If u need a hand, u know, call me baby :p
    Beijinho

    • Reply
      Filipa Maia
      January 8, 2018 at 3:30 pm

      Obrigada, minha querida! Enorme orgulho naquilo que estás a fazer <3

  • Reply
    pirilamposemarte
    January 8, 2018 at 8:44 pm

    Não és a única, não te preocupes. Também não exijas muito de ti, mais vale pouco e conseguires. 🙂

    Beijinhos
    http://www.pirilamposemarte.com

    • Reply
      Filipa Maia
      January 8, 2018 at 8:49 pm

      Certo! Há que saber reconhecer os nossos limites, nem que seja de tempo 😉
      Beijinho

Leave a Reply

%d bloggers like this: