Motivação Motivação e Mudança

A minha maior influência no mundo do desenvolvimento pessoal

Sim, após vários pedidos, vou finalmente apresentar-vos a minha maior influência no mundo do desenvolvimento pessoal!

 

Desenvolvimento pessoal

 

Este é um artigo que já ando para escrever há muito tempo. Meses mesmo.

 

Porque é que ainda não o fiz? Porque é um post demasiado importante. É um post que pode mudar vidas de pessoas e por isso não o quero fazer a despachar. Quero mesmo passar esta mensagem de uma forma que permita que quem ler isto não fique indiferente. E a verdade é que não sei se consigo. Não sei mesmo. Por isso o que vou fazer é tentar ser o mais honesta possível e esperar que, de alguma forma, a mensagem passe.

 

Porque não dá para adiar mais, por isso aqui vai disto. Espero que lhe dêem a devida atenção.

 

Lembram-se deste artigo que escrevi sobre mindset e sobre as minhas maiores influências? Lembram-se também que nesse artigo não falei da minha influência número 1 porque disse que ela merecia um artigo em exclusivo? Pois é, cá está ele. Hoje vou falar-vos sobre isso.

 

Vou falar-vos de uma pessoa que mudou a forma como vejo o mundo. E consequentemente, mudou a minha vida. Não o conheço pessoalmente, mas esta coisa da internet permite estas coisas, e mesmo à distância de muitos milhares de quilómetros e com uma diferença de fuso horário de 8 horas, este homem mudou a pessoa que eu sou.

 

Este senhor chama-se Tom Bilyeu e, se ainda não o conhecem, convido-vos a espreitarem apenas uma pequena amostra do conteúdo que ele produz:

 

(e para que saibam, e mesmo que fiquem a achar que eu sou tolinha, digo-vos já que vejo este vídeo praticamente todos os dias)

 

Se por acaso viram o Tom Bilyeu pela primeira vez neste vídeo, fiquem a saber o seguinte: ele é mesmo assim! Diz-vos esta pessoa, que já consumiu horas e horas do conteúdo dele. Ele acredita mesmo em tudo o que diz. E se ficaram um bocadinho assustados com a intensidade, não se preocupem, é apenas uma questão de hábito. Este é apenas um dos muitos tipos de conteúdos que ele produz, mas já explico melhor essa parte.

 

Primeiro, deixem-me falar-vos um bocadinho sobre a história dele, muito resumidamente, já que se lhe derem uma oportunidade e ouvirem uma das suas talks (já vos recomendo uma mais à frente), vão ter a oportunidade de ouvir o próprio a contar a sua história.

 

Uma história de desenvolvimento pessoal

 

Por isso, muito resumido: cresceu numa família normal americana de classe média e estudou cinema na universidade. No final do curso, quando teve de fazer um projeto final, percebeu que “não tinha jeito” nenhum para cinema e ficou meio sem saber o que fazer. Andou um pouco perdido, diz que procrastinou muito, até que decidiu que tinha dois objetivos: ser rico e ter “6-pack abs”. Começou a fazer-se à vida, entrou para uma start-up de tecnologia como copywriter mas era tão bom que o tornaram sócio. A empresa cresceu, ele ficou rico, nessa altura já tinha os “6-pack abs”, por isso estava feito! Só que ele sentia-se miserável…

 

Decidiu demitir-se, devolver a parte dele na empresa, e mudar-se para a Grécia com a mulher, para escrever e viver uma vida solitária. Ele tinha tudo o que sempre quis e não era feliz, por isso percebeu que estava a faltar ali qualquer coisa.

 

No entanto, os sócios gostavam muito dele e perguntaram se havia alguma coisa que pudessem fazer para ele ficar. Ele também gostava dos sócios, por isso ouviu-os, conversaram e decidiram que iriam começar outro tipo de negócio, um negócio com impacto. E foi assim que nasceu a Quest Nutrition. Quem gosta e consome barras de proteína, com certeza já ouviu falar destas barras, que são geralmente consideradas as mais saudáveis do mercado. A história repetiu-se, mas desta vez a empresa cresceu ainda mais, chegando a valer mil milhões de dólares, e o Tom decidiu que o negócio das barras de proteína já estava bom e que queria concentrar-se noutra coisa.

 

Foi então que começou algo chamado Inside Quest (estão a ver o trocadilho? Significa “dentro da empresa Quest” mas, ao mesmo tempo, “busca interior”!), que basicamente era um canal de Youtube onde ele entrevistava pessoas muito bem sucedidas. Quase de certeza que já viram um clip deste canal: já viram o famoso e viral discurso do Simon Sinek sobre “millennials in the work place”? Se não, podem ver aqui. Pois bem, foi neste canal que esse momento aconteceu.

 

O Tom começou o canal e as entrevistas porque queria mostrar, inicialmente aos funcionários da Quest Nutrition e, mais tarde, a todo o público, que as pessoas muito bem sucedidas têm todas a mesma mentalidade, os mesmos princípios e a mesma filosofia de vida – todos dão respostas muito parecidas a certas perguntas, quase como uma fórmula para o sucesso. Achou que algo ia clicar na cabeça das pessoas quando percebessem isso.

 

Entretanto, acabaram por decidir que não fazia sentido ter esse tipo de conteúdos associado a uma empresa alimentar, e por isso o Tom saiu da Quest Nutrition, fez um rebranding há um ano e a nova empresa chama-se Impact Theory. É neste canal que o Tom continua a fazer estas entrevistas e muitos mais conteúdos.

 

Quantidade massiva de conteúdos

 

Mas deixem-me falar-vos mais um bocadinho destas entrevistas, que são realmente diferentes de tudo o que já ouvi. O Tom faz um intenso trabalho de pesquisa antes de cada entrevista e entra já com um conhecimento gigante sobre os seus entrevistados – tanto que as suas introduções aos entrevistados já ficaram famosas de tão boas que são. Como consequência deste trabalho, as perguntas que são colocadas aos convidados são diferentes, vão muito além do que uma entrevista normal, dando por vezes origem a momentos incríveis (como o tal do Simon Sinek).

 

Os convidados são realmente incríveis e muitos deles já devem ser vossos conhecidos: Mel Robbins, Tim FerrissGary Vaynerchuk, Jason Silva, Maria Sharapova, Lewis Howes, Chase JarvisDavid EaglemanPeter DiamandisWyclef Jean, Mastin Kipp e muitos, muitos outros.

 

A entrevista que, até agora, ficou mais famosa e teve mais visualizações foi com o David Goggins, e é absolutamente incrível. Se tiverem curiosidade, recomendo vivamente!

 

 

Para além das entrevistas, vão encontrar muitos mais conteúdos neste canal. Para começar, uma discussão que acontece entre o Tom e um dos elementos da sua equipa apenas alguns dias depois de cada entrevista, sobre o convidado e as coisas que foram discutidas. Chama-se “After Impact”.

 

Tem também os episódios curtos, semelhantes ao que vos mostrei lá em cima, mais do estilo motivacional e com citações famosas (se me seguem no Instagram, saibam que a maior parte das citações que uso são tiradas daqui). Chama-se “Impact Quotes”.

 

Há ainda episódios em que o Tom responde a perguntas dos seguidores, Q&As ou AMAs, em que o principal foco é mindset, e episódios que ele faz com a mulher, Lisa, sobre relações, em que também respondem a perguntas dos seguidores.

 

Todos estes são episódios semanais, por isso já estão a ver a quantidade de conteúdos que isto representa!

 

Para além disso, o Tom lê muito e, ainda por cima, lê livros muito interessantes. Em tempos, fazia episódios curtos sobre cada um dos livros que lia, mas agora apenas envia as suas notas (que vai tirando enquanto lê) para os subscritores dessa secção da sua newsletter.

 

Se consultarem o site, vão encontrar ainda o “belief system” do Tom: um conjunto de crenças segundo o qual ele rege a sua vida. Recomendo mesmo que leiam. Para além disso, também no site está à venda merchandising com algumas palavras ou frases que representam algo para ele e para as pessoas que o seguem (ainda não comprei nenhuma t-shirt mas a minha preferida é a que tem a hashtag #TTFUBC, já que a primeira vez que ele usou esta expressão foi em resposta a uma pergunta minha!).

 

Por uma missão

 

Para além disto tudo, existe ainda um segundo canal no Youtube chamado Impact Theory Studios, em que se discutem séries e filmes, mas numa perspetiva de mindset e desenvolvimento pessoal. Este canal existe porque o principal objetivo do Tom é criar um estúdio de cinema maior do que a Disney. E porquê? Bem, não só porque o cinema é uma paixão dele (ele estudou cinema na universidade, não se esqueçam), mas também porque ele acredita que a única forma de o ser humano assimilar informação verdadeiramente disruptiva é através da narrativa. A missão dele é “to pull people out of the matrix” e não, ele não acredita que vivemos realmente na matriz, mas sim numa matriz metafórica de crenças limitantes, dentro da qual as pessoas não se apercebem do seu verdadeiro potencial. E ele quer mostrar-lhes que são capazes de qualquer coisa, mas para isso vai precisar de produzir filmes (séries, comics, etc…) com uma narrativa que transmita essa mensagem.

 

Se me lêem há algum tempo então já sabem que eu acredito que somos todos capazes do que quer que seja a que nos propusermos – e não, isto não é inteiramente verdade, mas é quase verdade! Foi este senhor que me enfiou este ideia na cabeça e uma coisa vos garanto: depois de ouvir (quase) todas as entrevistas que ele já fez, seria quase impossível não pensar assim. Se virem ou ouvirem as entrevistas (sim, porque tudo isto também existe na forma de um podcast com o mesmo nome, que é onde ouço a maior parte dos conteúdos), vão ver pessoas que passaram por adversidades inimagináveis e que vêm de condições muito abaixo da média e que mesmo assim são fenomenais naquilo que fazem. Depois de ver isso, é impossível não pensar que somos todos capazes de qualquer coisa, desde que nos dediquemos verdadeiramente a isso.

 

Apesar de este artigo poder parecer um pouco excessivo, a realidade é que admiro muito esta pessoa, não só pela sua missão e filosofia de vida, como também pela quantidade massiva de conteúdo que produz, e tenho, honestamente, pena que poucas pessoas o conheçam, principalmente no nosso país.

 

Uma talk que pode mudar a tua vida

 

Como referi atrás, deixo aqui uma talk em que ele fala de muitas destas coisas. Não sei se esta talk isoladamente pode mudar algumas vidas, mas acredito que se mergulharem no mundo do Tom Bilyeu, alguma coisa em vocês há de mudar.

 

 

Opiniões? Já o conheciam? Vão dar-lhe uma oportunidade? Contem-me tudo nos comentários!

You Might Also Like

14 Comments

  • Reply
    Sofia Mais Feliz
    January 16, 2018 at 10:04 am

    Olá Filipa!
    Não conheço o Tom Bilyeu mas adoro consumir conteúdos de desenvolvimento pessoal no YouTube por isso vou já subscrever os canais deles. Pelo que escreves, parece mesmo algo que vale mesmo a pena 🙂
    Depois digo-te o que achei 😀
    Beijinhos!

    • Reply
      Filipa Maia
      January 16, 2018 at 10:15 am

      Pois, é como disse, parece-me que ainda poucas pessoas o conhecem, pelo menos em Portugal. Mas eu vou fazer tudo o que me seja possível para mudar isso! 🙂 Sim, depois diz-me a tua opinião, tenho curiosidade 😉 Beijinho

  • Reply
    vania duarte
    January 16, 2018 at 1:47 pm

    que engraçado, quando eu consumia barras de proteína só comia as da marca quest. Eram as únicas em que conseguir tocar e sempre que alguém ia aos EUA eu pedia para trazer porque lá são muito mais baratas. Mas desconhecia por completo a história por trás delas e o Tom Bilyeu e só por este teu post já vou querer subscrever o canal dele. Fiquei curiosa.

    • Reply
      Filipa Maia
      January 16, 2018 at 2:19 pm

      Eu, quando comia, também só comia Quest, porque fiquei a conhecer quando vivi nos EUA. Agora já há mais algumas que imitam o método da Quest, mas naquela altura, as restantes estavam carregadinhas de açúcar.
      Eu acho que vais gostar porque ele é inspiracional mas ao mesmo tempo “no bullshit”, muito realista, prático e é o primeiro a dizer que o mais importante é o trabalho que pomos naquilo que fazemos. Nas suas próprias palavras: “only execution matters!” 🙂 Depois diz-me de tua justiça 😉

  • Reply
    Andreia
    January 16, 2018 at 3:56 pm

    Muito grata, Filipa! Não conheço o Tom mas conteúdos de desenvolvimento pessoal despertam-me bastante interesse, por achar que tenho várias arestas a limar no meu caminho para ser uma pessoa melhor a cada dia. Vou subscrever, obrigada! 🙂

    • Reply
      Filipa Maia
      January 16, 2018 at 4:06 pm

      Boa! Ele é intenso mas acho que vais gostar! Depois diz-me a tua opinião 🙂 Beijinho*

  • Reply
    Rita
    January 16, 2018 at 11:24 pm

    Olá Filipa!
    Primeiro que tudo Obridado por partilhares connosco a tua maior influência e nos dares a conhecer o Tom Bilyeu! Pelo que descreveste parece ser muito interessante!
    Ainda só vi a entrevista do David Goggins e Uau é realmente inacreditável! Uma história extraordinária, perguntas inteligentes e respostas sinceras e intensas. Já fiquei cheia de vontade de ver outras entrevistas, mas ainda estou a reflectir sobre o que foi dito nesta!
    Vou mergulhar no mundo do Tom e depois dou-te a minha opinião 😉

    • Reply
      Filipa Maia
      January 17, 2018 at 8:55 am

      Olá, Rita!
      (Afinal consegui não me atrasar com este post ;))
      Que bom que gostaste, fico mesmo contente 🙂 Sim, percebo-te bem, a entrevista com o Goggins foi talvez a mais intensa, eu própria tive de a ouvir duas vezes na altura em que saiu, para conseguir assimilar tudo (algo que precisei de fazer apenas duas ou três vezes). Mas sim, explora um bocadinho e depois diz-me o que achaste 😉
      Beijinho*

  • Reply
    Cátia Bandeiras
    January 17, 2018 at 2:59 pm

    Adorei ver a forma como escreves sobre o Tom porque nota-se que realmente o admiras! Eu nunca vi nada do Tom, só ouvia a Lisa no podcast Sheroic (com a Cassey Ho do Blogilates que foi uma pessoa que, pelos vídeos de exercício e história de vida, mudou a minha vida há uns anos atrás) e ela partilhava algumas coisas sobre o Tom e é só daí que conheço. Vou ouvir e ver se é algo que se enquadra no meu estilo 😉

    • Reply
      Filipa Maia
      January 17, 2018 at 3:03 pm

      Sim, também ouvi algumas vezes esse podcast, com as duas! Também já conhecia o canal da Cassey. Experimenta, depois diz-me o que achas 😉

  • Reply
    ritamartins
    January 17, 2018 at 11:36 pm

    Não acredito que este homem tem um programa de entrevistas brutal e ainda é o fundador da QuestNutrition (SÃO AS MELHORES BARRAS DO PLANETA MESMO!!). Só coisas boas – tens uma referência brutal. Vou certamente estar mais atento a este homem, para além dos habituais Tim Ferriss, Lewis Howes e Gary Vee 😉

    • Reply
      Filipa Maia
      January 17, 2018 at 11:54 pm

      Eu sabia que ias gostar! E bem, o Tom já entrevistou o Tim, o Lewis e o Gary… é seguir os links 😛 Aproveita!
      Beijinho*

  • Reply
    Andreia Pereira
    January 25, 2018 at 6:31 pm

    Filipa, desde que vi este vídeo que faço como tu: venho aqui sempre que tenho de treinar mas não me apetece. Vejo o vídeo, mentalizo-me e vou. Tenho de o merecer, tenho de lutar por isso. Obrigada pela partilha! beijinhos

    • Reply
      Filipa Maia
      January 25, 2018 at 6:36 pm

      Uau, que maravilha! Fico mesmo contente por saber isso 🙂 Este tipo de conteúdos pode não funcionar com toda a gente, mas para aqueles que funciona, funciona mesmo! Força, keep going!!! 😉 Beijinho

Leave a Reply

%d bloggers like this: