Leitura e Escrita Livros

Crítica #12: Talking as Fast as I Can de Lauren Graham

gilmore-girls

[Goodreads] [BookDepository]

 

Título: Talking as Fast as I Can: From Gilmore Girls to Gilmore Girls, and Everything in Between
Autor: Lauren Graham
Editora: Ballantine Books
Género: Autobiografia/Memória
Ano de publicação: 2016

 

Classificação:

 

Este livro é uma memória da atriz Lauren Graham, em grande parte escrita durante as filmagens de Gilmore Girls – A Year in the Life. Para quem não sabe, Lauren Graham é a atriz que interpreta a mãe das Gilmore Girls, Lorelai Gilmore, e também uma das personagens principais da série Parenthood (Sarah Braverman).

 

Decidi ouvir o audiobook deste livro porque gosto muito da Lauren Graham e adoro a série Gilmore Girls. Lembro-me que vi esta série em 2008, quando devido à greve dos argumentistas todas as temporadas terminaram mais cedo e fiquei sem nada para ver. À procura de uma série com bastantes temporadas para me entreter, deparei-me com Gilmore Girls que tinha terminado a sua última temporada no ano anterior. Logo após o primeiro episódio fiquei fã e penso que foi em cerca de 2 meses que vi todos os episódios das 7 temporadas. Confesso que muitas das referencias à cultura pop americana me passavam ao lado (mas muitas outras faziam-me soltar gargalhadas, penso que é praticamente impossível uma única pessoa apanhar as referências todas), mas a dinâmica entre aquelas duas personagens, mãe e filha, era absolutamente fascinante.

 

Quando tomei conhecimento do Year in the Life, 4 filmes de 90 minutos na Netflix, cada um a contemplar uma das estações do ano (”Winter, Spring, Summer or Fall”, por esta ordem), fiquei contente mas sem deixar que as expectativas subissem muito. Quando vi os 4 episódios (todos de seguida, 6 horas em frente à televisão num feriado em que precisava mesmo era de descansar), sabia que não ia ser maravilhoso, mas ainda assim fiquei algo desapontada. Por um lado, foi ótimo voltar a Stars Hallow (só quem é verdadeiramente fã pode perceber esta sensação), rever aquelas personagens e principalmente a relação entre as duas Gilmores. Por outro lado, houve demasiadas cenas que só lá estavam para puxar à nostalgia, algumas que só lá estavam para conseguirem encaixar determinada personagem ou ator, e infelizmente e para mim a parte pior, muitas atitudes nada características de algumas personagens (aquela era mesmo a Rory!? A sério que não se enganaram? O arco daquela personagem não fez sentido absolutamente nenhum). A minha parte preferida: Emily Gilmore. Adorei a evolução daquela personagem, incluindo as variadas vezes em que usou a palavra “bullshit”. Quanto às famosas últimas 4 palavras, sim, por um lado fecham um ciclo, mas por outra lado abrem outro e como a própria Lauren diz variadas vezes ao longo do seu livro, “did anybody else think this is more a cliffhanger than a resolution?”

 

Mas voltando ao livro de memória da Lauren Graham. Gostei. Não foi brilhante mas foi aquilo que se esperava deste livro, entreteve durante as 4 horas e meia de audiobook. Foi engraçado perceber o percurso dela enquanto atriz e ouvir alguns factos interessantes sobre a série. Penso que através deste livro consegue-se perceber que a filmagem de A Year in the Life foi mais para ela (e para a Amy Sherman-Palladino) do que para qualquer outra pessoa.

 

Gostei muito da forma como ela mostra no livro que vive um pouco à parte do resto de Hollywood, sem no entanto parecer pretensiosa. Há uma parte do livro em que ela fala de dietas que é absolutamente brilhante e muito divertida.

 

O facto de o audiobook ser narrado pela autora dá também outro encanto. Percebi que a voz dela é muito parecida com a da Lorelai, a forma de falar é muito semelhante, a entoação, expressões usadas, tudo faz lembrar a personagem.

 

Claro que achei particularmente interessante a parte em que ela fala da sua escrita, não só deste livro mas também do seu romance (aliás, principalmente do seu romance). Caso não saibam, a Lauren Graham é autora do livro Someday, Someday Maybe, um romance que não é suposto mas ela confessa ser altamente autobiográfico sobre uma atriz a tentar o seu sucesso em Hollywood. Fala também de um processo de escrita recomendado por um amigo guionista, que estou a pensar em implementar.

 

Resumindo, gostei do livro e penso que é um daqueles casos em que faz todo o sentido ouvir o audiobook em vez de ler o livro físico. Recomendo a quem for fã de Gilmore Girls (ou de Parenthood, mas ela fala mais de Gilmore Girls, se bem que eu fiquei com vontade de ver Parenthood).

 

You Might Also Like

No Comments

    Leave a Reply

    %d bloggers like this: