#76/100 – Focar no presente e o journaling

#100palavraspordia

 

Ultimamente, como já podem ter reparado por alguns textos no blog, tenho-me sentido muito assoberbada com as coisas que tenho para fazer e os planos que tenho para a minha vida e para o meu futuro. São tantas coisas, muitas que ainda nem posso executar, que às vezes fico com a mente toldada. Sei que tenho de dar um passo de cada vez, levar as coisas com calma, mas sinto-me tão entusiasmada com os meus projetos que por vezes é difícil focar só no presente.

 

Recentemente, apercebi-me que o problema é exatamente esse: nessas alturas em que sinto mais ansiedade estou demasiado embrenhada no futuro, e não suficientemente focada no presente. E se é verdade que devemos ter sempre em atenção o futuro que queremos para nós (caso contrário como poderemos agir para lá chegar?), por outro lado também é verdade que o foco no presente é essencial para nos conseguirmos concentrar nas tarefas atualmente em mãos, sem dispersar pelo que ainda há de vir.

 

Foi exatamente devido a esta conclusão que decidi começar a empenhar-me mais no meu processo de journaling, ou escrita livre. Já aqui falei desse assunto e na altura expliquei que o fazia todas as manhas mas apenas durante cerca de 5 minutos. Agora faço-o durante cerca de meia hora, o tempo que demoro a escrever três páginas.

 

Ora no fim de semana li este artigo, que veio mesmo a calhar após a minha reflexão sobre a necessidade de focar no presente. E foi assim que me decidi a passar a escrever três páginas todas as manhãs, aconteça o que acontecer. Comecei ontem e nestes dois dias senti que escrever três páginas, assim logo pela manhã, sem sequer estar ainda bem acordada, é mesmo um brain dump. Sai tudo cá para fora. A ideia é escrever os primeiros pensamentos e quando eles terminarem sem que tenhamos chegado ao fim das três páginas, forçar-nos a continuar a escrever, buscar mais fundo na nossa mente. Em teoria, acabamos por conseguir revelar pensamentos que nem estávamos muito bem conscientes que tínhamos e isso pode permitir-nos ter mais clareza na nossa vida.

 

Entretanto ontem, depois da minha primeira sessão de morning pages, encontrei mais este artigo sobre o mesmo assunto, e hoje surgiu ainda mais um. Parece que o journaling está na moda para os lados do Medium e eu não poderia estar mais alinhada. Aliás, se fizerem uma pesquisa por journaling no Medium vão encontrar imensos resultados, e muitos escritos por pessoas que afirmam que essa atividade mudou as suas vidas.

 

Vou experimentar este estilo de journaling durante pelo menos quatro semanas (já datei o meu caderno) e depois hei de reportar os progressos que tenho notado.

 

E vocês, têm alguma prática semelhante? Considerariam implementar algo deste género nas vossas manhãs?

 

 

(Podem ver aqui como este desafio começou)

2 Replies to “#76/100 – Focar no presente e o journaling”

  1. Já tentei fazer journaling mas nunca consegui. Vou fazendo isso no trabalho, em que todas as semanas tenho uma folha com as minhas actividades para a semana. Contudo, como tenho escrito mais para o blogue, tenho tido mais criatividade e quase todos os dias escrevo alguma coisa nas notes do telemóvel. Se começar a utilizar algumas boas aplicações, acho que posso melhorar a minha criatividade e maneira de escrever

    1. Sim, ter sempre algo à mão para escrever é mesmo importante. Por muito que pensemos que mais tarde nos vamos lembrar da ideia, muitas vezes ela acaba por desaparecer das nossas cabeças. Também uso muito o telemóvel para tirar notas =)

Leave a Reply