Bem-estar e Lifestyle Lifestyle

7 Coisas que aprendi com 200 publicações no blog

É verdade, este é o meu post número 200 neste blog (em menos de 1 ano!) e é lógico que tantas publicações têm de vir acompanhadas de muitas aprendizagens. Hoje decidi partilhar algumas com vocês, porque a verdade é que se vocês não estivessem desse lado isto não tinha nem metade da piada.

 

publicações

 

 

1 – A maior parte das pessoas não está minimamente interessada naquilo que tens para dizer

Muito honestamente, nobody gives a damn. E isso é bom e mau ao mesmo tempo. É mau porque se escrevemos é porque queremos que as pessoas nos leiam, queremos tocar as suas vidas de alguma forma, e quando isso não acontece (ou acontece muito raramente) acaba por ser frustrante, não vou mentir. Mas ao mesmo tempo acaba por ter o seu lado positivo, já que ao início, enquanto não tens milhares de seguidores, podes dizer as bacoradas que quiseres que ninguém vai ligar puto. Não quero com isto dizer que vás escrever bacoradas propositadamente, mas a verdade é que quando percebes isto, começas a sentir uma certa liberdade quando estás a escrever. Quando surge aquela dúvida de “devo publicar isto ou é melhor não?” e te lembras que provavelmente apenas umas 10 pessoas vão ler aquilo, nas quais estão incluídas a tua mãe, o teu tio e a tua melhor amiga, logo pensas “que se lixe, qual o pior que pode acontecer?” e publicas sem problemas. Convém é não esquecer que de um momento para o outro o teu blog pode ver um sucesso desmesurado, ganhas milhares de seguidores do dia para a noite e o post continua lá para qualquer um ver, mas qual é mesmo a probabilidade de isso acontecer?

 

2 – Não é fácil ter visibilidade ou capturar o interesse das pessoas num mundo saturado de informação

Ou melhor, é mesmo muito difícil. Existem milhares e milhares de blogs e alguns deles são mesmo muito bons. O que faria alguém escolher dedicar o seu tempo a ler o teu em vez de outro qualquer? E para além dos blogs, há as notícias, o Youtube, os podcasts, livros maravilhosos e séries fantásticas. Quase infinitas formas de os teus potenciais leitores passarem o seu tempo. Pois, hoje em dia não é nada fácil diferenciarmo-nos e despertar o interesse dos leitores. Por isso mesmo, mais vale seres autêntico (mesmo que esta palavra já se tenha tornado cliché) e falares daquilo que realmente te faz vibrar, pois se existe a possibilidade de muito poucas pessoas te lerem, se não falares daquilo que realmente gostas, rapidamente te vais fartar e vais acabar por desistir.

 

3 – Mas quando sentes que consegues tocar alguém com as tuas palavras, vais sentir uma enorme satisfação

Não importa se tens apenas 10 leitores nos quais estão incluídos a tua mãe, o teu tio e a tua melhor amiga. O momento em que recebes aquela mensagem ou aquele comentário que mostra que alguém sentiu algo ao ler as tuas palavras é O momento que faz isto valer mesmo a pena. Ou quando percebes que tens aqueles leitores que lêem sempre o que escreves, mesmo que não comentem sempre. É por esses que continuas a escrever e é por esses que te esforças para melhorar e para elevar a fasquia. Por isso obrigada a vocês, obrigada a quem gosta e diz que gosta e a quem continua desse lado. Obrigada a quem manda mensagens e diz que se identifica com algo e faz perguntas e pede mais!

 

4 – As pessoas gostam das publicações em que tentas ajudar ou em que demonstras vulnerabilidade

E já que estamos a falar em impactar as vidas dos leitores, então o que é mais eficaz? Pelas minhas observações, não há dúvidas: conteúdo útil e a partilha da tua história, desde que demonstres vulnerabilidade. As pessoas gostam de saber que não são as únicas a passar por problemas ou a sentir dificuldades. Não vale a pena mostrar só as coisas boas. Partilhar as nossas inseguranças, os obstáculos com que nos deparamos e os nossos maiores medos é meio caminho andado para as pessoas se conseguirem rever nas nossas histórias.

 

5 – Não é qualquer um que consegue manter a consistência quando por vezes parece que estamos a escrever para um vácuo

Nem sempre as mensagens e comentários motivadores dos nossos leitores, dos quais falei atrás, estão lá para nos motivar, principalmente ao início e precisamente porque não começas logo à partida com uma imensidão de leitores. E nessas alturas é preciso muito foco para continuar a produzir. Deve ser por isso que a maior parte dos blogs que são criados não sobrevive ao primeiro ano (falta-me 1 mês e 10 dias!). Mas só persistindo e mantendo a consistência é que vais: i) conseguir chegar a mais pessoas, e ii) criar uma relação de confiança com os teus leitores, o que só se consegue com o tempo.

 

6 – O melhor da blogosfera são mesmo as pessoas

E quando digo pessoas, estou a referir-me tanto a leitores como a outros bloggers. Os leitores que não são bloggers são, obviamente, muito bem-vindos e altamente apreciados, como já deve ter dado para perceber. Mas a verdade é que, além dos leitores, encontrei uma comunidade espantosa de bloggers que se entreajudam, dão apoio uns aos outros das mais variadas formas, criam projetos em conjunto e, de uma forma maravilhosamente generosa e altruísta, potenciam os trabalhos uns dos outros. São uma verdadeira fonte de inspiração. A última coisa que pensei quando criei este blog foi que iria, através dele, fazer amigos, mas foi mesmo isso que aconteceu e todos os dias me sinto grata por isso. Obrigada por tudo, amigos bloggers!

 

7 – Gosto mesmo disto! E estou cá para ficar

Disso não tenham dúvidas: não vou a lado nenhum e novidades avistam-se no horizonte!

 

 

Mais uma vez: obrigada a todos os que me dão o seu apoio, tanto pessoal como digitalmente. Não fazem ideia a força que me dão. Obrigada a quem lê, a quem gosta, a quem comenta, a quem partilha.

 

obrigada

 

P. S. Já sabem que o vosso feedback é sempre mais do que bem-vindo: adoro saber o que gostam, o que não gostam e o que gostariam de ver por aqui. Já sabem onde me podem encontrar!

 

P. P. S. Não sabes onde me podes encontrar? Na caixa de comentários, no Facebook, no Instagram, no Bloglovin ou através do e-mail blog@deixaser.pt. Respondo sempre, em qualquer uma destas plataformas!

You Might Also Like

11 Comments

  • Reply
    Vânia Duarte
    August 26, 2017 at 7:14 pm

    gosto de tudo neste post e gosto de ti. “6 – O melhor da blogosfera são mesmo as pessoas”
    a verdade é que já ando por aqui há uns aninhos e continuo a dizer isto todos os dias porque para mim é mesmo o mais importante. As sinergias que acontecem, os projectos que nascem e as amizades que crescem simplesmente porque tropeças num blogue e tens o prazer de conhecer a pessoa que está por trás dele. Esta será sempre para mim a melhor parte de ter um blogue.

    • Reply
      Filipa M.
      August 26, 2017 at 8:12 pm

      Minha querida Vânia, muito obrigada! Também gosto de ti =)
      É mesmo verdade! No dia em que criei este blog, nunca pensei que ele me traria tantas pessoas tão boas. Mal posso esperar pelo que ainda está para vir!

  • Reply
    Glória Carvalho
    August 26, 2017 at 11:57 pm

    Adorei! Sabes que podes contar sempre comigo para o ponto 1 (estou sempre muito mais que minimamente interessada no que escreves)! Sabes perfeitamente que sou uma das pessoas do ponto 3, afinal comecei a escrever por me sentir incentivada por ti! Adoro e sinto-me inspirada quando escreves sobre ti! Conheces-me muito mais do que pela blogosfera e adivinha? Também gosto muito disto! Gosto de te ler, gosto de escrever! Continua, por favor!

    • Reply
      Filipa M.
      August 27, 2017 at 12:07 am

      Oh, obrigada! =) Sim, sei tudo isso e o teu apoio é tão valioso, nem imaginas!
      Vou continuar, continua tu também, por favor!
      Beijinho grande*

  • Reply
    Xiá
    August 27, 2017 at 12:46 pm

    Criei o meu blog à poucos dias, pelo que o ponto 1 se tem verificado em cada publicação. Obviamente que não ganharei seguidores do dia para a noite, é necessário muito trabalho, mas como o meu blog antigo já tinha uma audiência agradável, torna-se frustrante.
    Concordo plenamente que o melhor da blogosfera são as pessoas, Com cada história, com cada palavra amigável e conselho de quem te conhece à anos mas que nunca te viu na vida. É uma comunidade fantástica

    • Reply
      Filipa M.
      August 27, 2017 at 4:06 pm

      Mesmo, não é fácil! Gosto do nome do teu blog, “Coffee cup” =) Vou lá espreitar 😉

      • Reply
        Xiá
        August 27, 2017 at 10:06 pm

        Espero que gostes e que fiques por lá, adorava ter a tua opinião e conselhos!

  • Reply
    Inês Lopes
    August 27, 2017 at 9:49 pm

    Concordo com tudo 🙂 Apesar de todas as dificuldades, também gosto bastante disto. E adoro ler o teu blog, por isso, espero que venham mais 200 publicações, e mais 200… 🙂

    • Reply
      Filipa M.
      August 27, 2017 at 10:49 pm

      Obrigada, Inês! É mesmo bom saber isso =) E eu espero que continues por cá 😉

  • Reply
    Rui Nogueira
    September 29, 2017 at 12:49 pm

    Estou a adorar conhecer o teu Blog. O ponto 4 foi o que ache mais interessante.

    Eu estou a tirar a licenciatura de MKT e um dos professores defende que as pessoas querem ver alguém igual, alguém real, com defeitos, medos, falhas, etc.

    Irei ficar atento ao teu Blog pois parece ser extremamente interessante!

    Até breve, Filipa 🙂

    • Reply
      Filipa Maia
      September 29, 2017 at 2:17 pm

      Obrigada, Rui! Fico muito contente que tenhas gostado. Também estou a entrar agora no mundo do marketing e sem qualquer dúvida que isso é verdade 😉
      Espero que continues a acompanhar! Acho que vais gostar do texto que vou publicar na próxima segunda-feira =)

Leave a Reply

%d bloggers like this: