#100palavraspordia

#25/100 – Da suposta falta de tempo

#100palavraspordia

 

Cada vez acredito menos no mito da falta de tempo. É verdade que eu própria já me queixei disso, e de vez em quando ainda me sai um desses lamentos de vez em quando, mas estou a tentar mudar de perspetiva.

 

Todos nós temos as mesmas 24 horas no dia. É simplesmente um facto que não há ninguém com mais nem com menos, nesse campo somos todos iguais. Tenho a certeza que todos nós conhecemos (ou sabemos de) pessoas que nos impressionam pela quantidade de coisas que conseguem fazer. Quando vemos essas pessoas pensamos logo “não compreendo como consegue fazer tantas coisas”.

 

Quando nós próprios temos projetos e atividades que gostaríamos de fazer, pensamos então “quem me dera ter também tempo para fazer estas coisas”, sejam elas quais foram. Mas repito: temos exatamente tanto tempo como as outras pessoas todas. O que diferencia essas pessoas, as que dão conta de muitas coisas, de muitos desafios, não é terem mais tempo. Não! É fazerem uma melhor gestão de prioridades. Porque a verdade é que não dá para fazer tudo. Se queremos muito fazer algo, outra coisa vai ter de ceder. É a importância que damos a esta gestão de prioridades e o cuidado com que decidimos como vamos ocupar o nosso tempo que vai definir se realmente conseguimos fazer aquilo que mais queremos.

 

Também eu pensei em tempos que não tinha tempo para escrever um livro. E depois escrevi, em apenas 3 meses, um com mais de 400 páginas. O que mudou? O facto de ter definido isso como uma prioridade. Escrever passou a ser uma prioridade em detrimento de fazer scroll down no Facebook, ver vídeos no Youtube, ver séries e filmes, por vezes ir ao ginásio, e até mesmo, em algumas situações pontuais, estar com outras pessoas. Sim, algumas podem ser decisões difíceis de tomar, mas quando queremos muito uma coisa, quando o queremos o suficiente, temos sempre de abdicar de outras que se calhar até também gostamos e até são importantes – mas não tão importantes como o nosso objetivo mais prioritário.

 

Isto pode aplicar-se a qualquer coisa. Gostavam muito de treinar mas acabam por sair sempre tarde do trabalho? Então, lá no fundo, é porque o trabalho é, para vocês, uma prioridade maior do que treinar. Gostavam de ler mais mas não conseguem desligar a televisão ou o computador? Então é porque ler não é assim tão prioritário, pelo menos quando comparado com ver televisão ou estar no computador. Gostavam de comer de forma mais saudável mas não conseguem porque não têm tempo de ir às compras todas as semanas e cozinhar todos os dias? Então é porque há outras coisas que estão a ocupar o vosso tempo e que são mais prioritárias. Querem escrever um livro? Não têm tempo? Garanto que têm, até porque bastam 10 minutos por dia para o conseguirem.

 

Vale para tudo!

 

Por isso, por favor, e pela vossa própria felicidade, se também querem ter tempo para fazer algo para o qual sentem que não têm tempo, façam o seguinte:

  • Convençam-se que todos temos as mesmas 24 horas no dia, por isso vocês não têm menos tempo do que qualquer outra pessoa que faz coisas incríveis (aqui também há tough love de vez em quando).
  • Olhem para o vosso dia e analisem bem como estão a ocupar o vosso tempo ao longo dessas 24 horas.
  • Decidam onde podem cortar, o que querem eliminar, o que estão dispostos a abdicar, quais são aquelas atividades que não são, afinal, tão prioritárias como aquela que realmente querem fazer.
  • Reorganizem-se. Se a vossa nova priorização impactar outras pessoas, sentem-se e tenham uma conversa com elas. Expliquem que aquela outra coisa é, para vocês, mais importante.
  • Façam!

 

É simples. É apenas uma questão de prioridades.

 

get-shit-done

 

 

(Podem ver aqui como este desafio começou)

 


 

Para receberes o ficheiro PDF com o teu marcador de revisão subscreve por e-mail a Newsletter Deixa Ser.

(Também não gosto de SPAM, por isso prometo que só vou enviar conteúdo interessante)

 

You Might Also Like

No Comments

    Leave a Reply

    %d bloggers like this: