#67/100 – Como conseguir arriscar

#100palavraspordia

 

Ou a resposta à querida Lucie.

 

O primeiro passo tem de ser acreditar: acreditar que é possível, acreditar em ti, acreditar que o único desfecho possível é a coisa correr bem. Acreditar que és capaz de qualquer coisa que decidas fazer. Acreditar na tua força, nas tuas capacidades, no teu potencial. Acreditar que és capaz de reunir em ti tudo aquilo que precisas para seres bem sucedida.

Depois, não ter medo de falhar. Porque falhar significa que aprendeste algo novo. E falhar não implica deixar de acreditar, mas simplesmente continuar a acreditar que vai resultar nas próximas tentativas. Falhar tantas vezes quantas forem precisas até conseguires. Convenceres-te que falhar não diz nada sobre a pessoa que és, apenas diz que aquele não era o momento certo. Enquanto não acreditares em ti e não estiveres OK com a possibilidade de falhares, então sim, será muito difícil arriscar.

 

 

(Podem ver aqui como este desafio começou)

2 Comment

  1. Minha querida Filipa,

    É mesmo isso, não estou Ok com a possibilidade de falhar. Não estou Ok com escolhas. Sou uma indecisa de primeira. Alguém que tenta minimizar o risco ao máximo acompanhado claro está por um grau de exigência e frustração inimagináveis. O monstro de viver torna-se tão grande que não me mexo, tento passar a vida esquecida no canto, a ver os outros viver. Talvez por isso goste tanto de blogues, pois consigo imaginar como a vida poderia ser tão bonita se não tivesse tanto medo. Enfim! Estas dores de crescimento já deveriam ter passado, ou é uma crise de meia idade adiantada.

    Um grande beijinho*Lu

    1. É isso, Lucie. A chave está em fazer um shift de mindset para passar a aceitar os nossos falhanços como coisas boas. Porque sempre que falhas descobres algo novo, sobre ti, sobre a vida, sobre o mundo. E isso é bom! Falhar é uma maravilha, é sinal que estás a fazer coisas, coisas novas, coisas interessantes e difíceis. É a já tão batida frase mas que está tão certa: o maior risco está em não correr risco nenhum. Em deixar a vida passar sem fazer nada que nos deixe realmente felizes. Convence-te que és capaz e que se falhares não faz mal, ao menos aprendeste algo =)
      Já agora, uma sugestão: vê a última Ted talk do Tim Ferriss (de Abril deste ano) e faz o exercício. Mal não vai fazer e pode ajudar a perceber que, muitas vezes, o “pior que pode acontecer” afinal nem é assim tão mau como imaginamos 😉
      Um beijinho grande

Leave a Reply